24 agosto 2016

ESPECIALISTAS DISCUTEM POSSIBILIDADE DE EPIDEMIA DE CHIKUNGUNYA EM 2017

“O Brasil está prestes a viver uma grande epidemia de chikungunya no verão de 2017”, afirmou o subsecretario de Vigilância em Saúde do Rio de Janeiro, Alexandre Chieppe, durante o seminário Chikungunya: atualização clínica, realizado em 16 de agosto pela Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS/Fiocruz) no  Instituto Nacional de Infectologia (INI/Fiocruz). O evento contou com a presença de especialistas e pesquisadores para tratar dos mais diferentes aspectos da doença que, assim como a dengue e a zika, é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Representaram o Instituto na programação Marilia Santini, Vice-diretora de Qualidade e Informação do INI, e os pesquisadores André Siqueira e Roberto Fiszman.

A chikungunya ainda não tem cura e é conhecida por causar febre e dores intensas nas articulações de pés e mãos, dedos, tornozelos e pulsos, podendo ocorrer, também, dores de cabeça e musculares, manchas vermelhas na pele, entre outros sintomas. “Em busca de ampliar o conhecimento acerca da tríplice epidemia (dengue, zika e chikungunya), a Fundação Oswaldo Cruz vem realizando, continuamente, uma série de eventos sobre essas doenças, envolvendo todo seu corpo de pesquisadores, docentes e alunos. Nossa intenção é potencializar o SUS como uma grande plataforma de pesquisa, de base de dados e informações para alcançarmos evidências científicas de um campo pouco conhecido por todos”, destacou o Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz, Valcler Rangel.


“Nós discutimos neste seminário os diversos aspectos da Chikungunya, indo desde a epidemia como um todo, suas abordagens clínicas, tanto para o adulto quando nas crianças, as fases aguda, subaguda e crônica da doença, e percebemos que há mais dúvidas do que respostas propriamente ditas. Temos que pensar em como progredir para melhorar a assistência da população e avançar nos conhecimentos científico e prático para combater a epidemia que estar por vir”, ressaltou André Siqueira, pesquisador do Laboratório de pesquisa Clínica em Doenças Febris Agudas do INI.
E a preocupação não pode ser minimizada. Em 2016, foram notificados pelo Ministério da Saúde mais de 170 mil casos de chikungunya em todo o país (dados válidos até o mês de julho), com 38 óbitos confirmados pela doença, sendo a região Nordeste a que reúne o maior número de casos, informou a representante do Ministério da Saúde, Lívia Vinhal. Ainda segundo a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), o Brasil concentra 88% dos casos confirmados da doença nas Américas.

Chikungunya no INI

Em sua exposição, a Vice-diretora de Qualidade e Informação do INI, Marilia Santini, apresentou as ações do Instituto nas áreas de pesquisa através das atividades de pesquisa, os Laboratórios de Pesquisa Clínica em Doenças Febris Agudas, Pesquisa Clínica em Neuroinfecções, Pesquisa Clínica em Oftalmologia infecciosa, cada um deles voltados para uma especificidade da doença, além do papel da Vice-direção de Serviços Clínicos no que diz respeito às vigilâncias epidemiológica e sindrômica das arboviroses, bem como da assistência prestada no Hospital Evandro Chagas, que vai desde o primeiro atendimento, o pronto-atendimento, o atendimento de reumatologia e o diagnóstico etiológico aqui realizados.


Para exemplificar os números do INI, Marilia mostrou dados de casos suspeitos de arboviroses notificados na unidade, revelando o aumento com relação à chikungunya. O Instituto recebeu 733 casos em 2015, confirmando, através de exames, 322 deles (39,7% dengue, 57,7% zika e 2,48% chikungunya). Em 2016, até o mês de agosto, o INI contabilizou 780 casos, sendo 382 deles confirmados. Desse total, 73,29% foram chikungunya, 4,18% dengue e 22,5% zika.

“Esses números revelam que devemos ter uma real preocupação com a chikungunya. Temos aqui a oportunidade de trabalhar uma série de estudos e ações futuras sobre o conjunto de mecanismos (fisiopagotenia) que resultam na síndrome dolorosa pós-infecção. Gostaria muito de fazer ressonância nas mãos das pessoas, porque tenho certeza de que encontraremos algo que será útil para todos. Além disso, temos que pensar na ampliação dos ensaios clínicos para avaliar a eficácia e a segurança de diferentes tratamentos da síndrome dolorosa pós-infecciosa e melhorar a caracterização dos aspectos epidemiológicos e clínicos de quadros neurológicos”, afirmou Marilia. A Vice-diretora do INI também disse ser fundamental a realização de diagnósticos mais rápidos para a doença pois, com uma epidemia sendo anunciada, não há como sobrecarregar ainda mais os laboratórios com exames.

Sequelas crônicas

Muitas vezes incapacitante, a chikungunya pode se sobrepor a uma doença inflamatória pré-existente na pessoa infectada, causando assim a reativação de uma dor antiga ou, muitas vezes, seu agravamento, causando quadros de artralgias e poliartralgias agudas (dores nas articulações do corpo) e sinovites (inflamações nos revestimentos dessas articulações) intensas. Os casos são tratados com anti-inflamatórios e corticoides, conforme a necessidade. “Entretanto, temos que levar em conta que, no caso de doenças reumáticas, essas se manifestam de formas diferentes nas pessoas e a história pregressa de cada paciente é fundamental para enfrentarmos da melhor forma o problema e prescrever a medicação corretamente”, informou o reumatologista e pesquisador do INI, Roberto Fiszman.

Estudos revelam que pelo menos 20% dos casos deixam sequelas crônicas, como artrites e artroses, naqueles que tiveram chikungunya. E Roberto corrobora esses números ao afirmar, a partir de sua experiência profissional e de pesquisas realizadas que, a pessoa que não ficar efetivamente curada de uma artrite reumatoide decorrente da chikungunya após seis semanas de tratamento, a terá pelo resto da vida. O médico crê ser necessária a adoção de um protocolo padrão mais simples para a rede de Atenção Primária em Saúde (APS), de forma a trazer um menor número de medicamentos para o tratamento da doença, sempre pensando no equilíbrio entre a potência dos remédios e a tolerância dos pacientes.

Epidemia 2017

Ainda na questão da elaboração de um protocolo, Cristina Lemos, representante da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS/RJ), destacou que o país deveria incluir as três doenças (dengue, zika e chikungunya) em um mesmo protocolo de atendimento a ser utilizado especialmente no período endêmico, sendo esse conduzido pela doença mais grave. Na fase não endêmica, que sejam adotados protocolos específicos para cada uma das doenças, lembrando ainda que o Rio de Janeiro possui um plano de contingência para doenças sistêmicas, já prevendo o pior cenário para 2017.

Por fim, o Diretor da Fiocruz Mato Grosso do Sul, Rivaldo Venâncio, fez um alerta para o fato de que, com a epidemia da chikungunya, não é só a rede pública será afetada. “Após a primeira onda da epidemia, podemos esperar uma soropositividade de 20% nas pessoas, sendo que 2/3 desse total se manifestará efetivamente como doença. E isso vai refletir também na rede privada. Ela estará preparada? Temos todos que estar prontos para o que está por vir. É vital organizar toda nossa Rede, embora esse seja um problema nacional. Só atuamos quando a epidemia explode e isso é um grande erro de nossos gestores”, concluiu.


Fonte: Por: Antonio Fuchs e Juana Portugal (INI/Fiocruz)  http://portal.fiocruz.br/
Acesso em 24/08/16, divulgação em 23/08/16

7 comentários:

  1. DEVE LER: COMO EU TIVE CURADO DE MEU VIRUS DO HIV)

      Olá, meu nome é Jeff Chandler, fui diagnosticado de HIV e tentei todos os meios possíveis para obter a cura, mas tudo em vão, até que eu vi um post em um fórum de saúde sobre um médico de ervas da África Ocidental (Dr AGEGE), que Preparar remédios à base de plantas para curar todo o tipo de doenças, incluindo vírus de herpes, no início eu duvidei se era real, mas decidi tentar dar-lhe uma tentativa, quando eu entrar em contato com este médico herbal através de seu e-mail, ele preparou um remédio herbal e enviou- Quando recebi esta medicina à base de plantas, ele me deu instruções passo a passo sobre como aplicá-lo, quando eu apliquei como instruído, eu estava curado do vírus HIV mortal dentro de uma semana de uso agora estou livre do vírus, fui experimentado negativo. Ele também pode curar qualquer tipo de doença e pode trazer de volta o seu parceiro Ex para você, você deve entrar em contato com este grande médico herbal através de seu e-mail (dragegespellalter@yahoo.com) ou ligue ou whatsapp ele com o seu número +2349036492096, quando você entrar em contato Ele, certifique-se de dizer-lhe que eu refrenced você, estou feliz ele salvar a minha vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Je vis à Rio Grande dosul, Paulo Santana Baiao Est mon nom.Je n'ai que peu de mots à dire.La vie vaut la peine d'être vécue quand vous êtes totalement libéré de la vie Menacer les maladies .Je vais appeler cela un miracle Guérison .Je n'ai jamais cru Je vais jamais être guérie Dans ma vie. Ise a rétabli ma santé. Je suis guéri, mon corps est totalement libre de toutes les maladies. J'ai divers types de maladies Dans mon corps, ils sont de 4 types; L'hépatite, le VPH, la syphilis et la rosacée, il a résolu à plusieurs maladies .Dr.Ise Herbal Médecine thérapeutique et de guérison de spiritualisme Éliminé toutes les maladies de mon système de corps, Totalement libre de toutes les maladies .Il a un Email Reconnu dans le monde entier ISESPIRITUALSPELLTEMPLE @ GMAIL .COM.Le plus reconnu dans le monde et Médecin de fines herbes de confiance @ ,,,, ISESPIRITUALSPELLTEMPLE@GMAIL.COM

      Excluir
  2. Herbal suplementos têm existido por milhares de anos e pode ser rastreada durante várias culturas diferentes. Por enquanto. As ervas são usadas agora curar o diabetic, o herpes, a dor crônica, o asthma e mesmo o hiv. Eu amo ervas tanto. Na maioria das vezes, injeção e drogas são apenas uma perda de tempo. Fui curado do HIV no ano passado com o uso de ervas, sofri de HIV por 13 anos, mas com a ajuda do DR. Herbal medicina OSAS, eu estava curado dentro de poucas semanas de usar as ervas que ele enviou para mim através de serviço de entrega de correio. Eu não sei o tipo de problema de saúde que você está enfrentando agora, mas eu te assegurei que você vai ser cura se você entrar em contato com Dr. OSAS e explicar o seu problema para ele, que as questões serão resolvidas em poucas semanas, Seu email address: drosasherbalhome@gmail.com ou WHATSAP / CHAMAM-no em +2349035428122. Website http://drosasherbalhomecure.webs.com

    ResponderExcluir
  3. Meu nome é Carolina Boa, por favor, ajuda-me a agradecer Dr. White por me curar do HIV eu sou de Lyon France. Eu estive doente de HIV para três anos e eu fui visitar o hospital para medicamentos anti-retrovirais. Chegou a um ponto onde eu comecei a visitar herbalist para as ervas, mas a doença ainda estava destruindo meu sistema como Se não houvesse mudanças positivas. Um dia, meu amigo muito próximo me deu This e-mail de um médico drwhitethehivhealer@gmail.com e número WatsApp: +2349091844595 Ela disse-me que ela tinha lido tanto como This Sobre o Dr. curado doença diferentes, incluindo HIV. Ela me convenceu a dar-lhe uma tentativa. Entrei em contato com Dr. White através do e-mail, eu prometi para preparar remédio herbal e enviar para mim em França só se eu posso pagar o custo e dizer mais pessoas sobre seus poderes quando eu ficar curado. Eu paguei todas as despesas necessárias para obter o remédio herbal, i tomou o medicamento como prescrito por duas semanas tem, depois do qual eu fui para um check-up médico e viu o maior milagre da minha vida. Meu resultado do teste era HIV negativo. Já se passaram quatro meses e agora eu tenho feito exames médicos incontáveis ​​e eles foram todos negativos. Não posso deixar de agradecer Dr. White por me curar e, claro, o meu melhor amigo Veronica para ligar-me com o médico. O que quer que você está tendo a doença HIV, herpes, HPV, Hepatite B, Câncer e assim por diante, não desista Porque Dr. White pode curar você se você acredita também e em contato com ele.
    Meu email é: carolinamichealboa@gmail.com, Face livro: Carolina Michael Boa

    ResponderExcluir
  4. Olá, sou LINDA PAUL pelo nome, QUERO COMPARTILHAR A MINHA EXPERIÊNCIA DE COMO EU FUI CURADO DO HIV POR MEDICINA HERBAL. Pode parecer estranho! Nos últimos 5 anos, gastei muito dinheiro na compra de medicamentos anti-retrovirais para fortalecer meu sistema imunológico e me manter saudável, até que eu leia um artigo na internet sobre um Herbalista africano que usa ervas e raízes para curar o HIV e todos os tipos De doenças. Penso que nunca acreditei que ele possa curar o HIV, mas eu decidi tentar, porque estava desesperado. Então enviei uma mensagem para ele no seu e-mail DR.ABUYAHERBALCURE@GMAIL.COM Ele preparou medicamentos fitoterápicos e me enviou através do DHL COURIER SERVICE e eu o peguei como ele instruiu. 11 dias depois, fui ao hospital para fazer um check-out, o resultado saiu e testei NEGATIVO. Estou compartilhando isso com você, porque acredito que há alguém aqui fora que também deseja ter essa cura. Sinta-se à vontade para enviar uma mensagem para ele no seu e-mail DR.ABUYAHERBALCURE@GMAIL.COM ou ligue, E TAMBÉM CHAT COM HIN ATRAVÉS DO VIA IMO CHAT,WHATSAPP +2347039225049, e estou certo de que ele estará disposto a ajudá-lo e você também terá um testemunho compartilhar. Por favor informe outras vítimas sobre isso.

    ResponderExcluir
  5. Olá, sou LINDA PAUL pelo nome, QUERO COMPARTILHAR A MINHA EXPERIÊNCIA DE COMO EU FUI CURADO DO HIV POR MEDICINA HERBAL. Pode parecer estranho! Nos últimos 5 anos, gastei muito dinheiro na compra de medicamentos anti-retrovirais para fortalecer meu sistema imunológico e me manter saudável, até que eu leia um artigo na internet sobre um Herbalista africano que usa ervas e raízes para curar o HIV e todos os tipos De doenças. Penso que nunca acreditei que ele possa curar o HIV, mas eu decidi tentar, porque estava desesperado. Então enviei uma mensagem para ele no seu e-mail DR.ABUYAHERBALCURE@GMAIL.COM Ele preparou medicamentos fitoterápicos e me enviou através do DHL COURIER SERVICE e eu o peguei como ele instruiu. 11 dias depois, fui ao hospital para fazer um check-out, o resultado saiu e testei NEGATIVO. Estou compartilhando isso com você, porque acredito que há alguém aqui fora que também deseja ter essa cura. Sinta-se à vontade para enviar uma mensagem para ele no seu e-mail DR.ABUYAHERBALCURE@GMAIL.COM ou ligue, E TAMBÉM CHAT COM HIN ATRAVÉS DO VIA IMO CHAT,WHATSAPP +2347039225049, e estou certo de que ele estará disposto a ajudá-lo e você também terá um testemunho compartilhar. Por favor informe outras vítimas sobre isso.

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigado ao Dr. Clifford pela ajuda que ele me prestou, eu era um paciente com HIV, vi um blog pelo qual o Dr. Clifford curou o HIV, eu decidi contactá-lo o que fiz, preparou o remédio para as ervas e enviou-o para mim e depois de ter usado as ervas que ele enviou, ele me pediu para fazer check-up após três dias usando as ervas. Por sorte, eu fui testado HIV negativo, agora eu acredito em todos esses testemunhos sobre ele na INTERNET, ele é realmente um grande homem. Você pode entrar em contato com o grande Herbalist e um conjurador de feitiços em (drcliffordsolutioncenter62@gmail.com). ou WhatsApp no, (+2348105049840)

    ResponderExcluir